sexta-feira, dezembro 23, 2005

Feliz natal?

ehehe, eu tenho que postar mais, e responder os comments, mas eu tive que postar logo o "Presente de Natal" pra vocês :

  • Vídeo de Natal

  • tooosco demais, mas dá pra rir bastante! a propósito, a música de fundo é uma gravação nossa, já passei pra algumas pessoas, se eu achar online passo pra quem quiser também.

    até amanhã, se pah

    sexta-feira, dezembro 16, 2005

    Folga? Quem disse?




    É galerosa, eu achando que acabando o teste ia ter tempo livre de sobra, tá meio que faltando. Em virtude do festival de final de ano do colégio, a minha banda resolveu dar o sangue (e o bolso também) pra se apresentar por 6minutos. Explico depois, primeiro eu quero responder as mensagens que a minha situação ficou um tanto quanto "colorida" perante meus leitores:

    -Quanto a expressão "admirar o outono":
    Tá, é bixa mesmo a expressão, já tinha falado isso. Mas que fica estranho falar, fica... Resultado: rodei na aba da tradução.

    -Quanto a promoção da folha de maple:
    Aê galera, não priemos cânico, as cartas já estão sendo fechadas para enviar. No mais tardar segunda ou terça, mas creio que segunda mesmo eu esteja postando, já que o correio fecha final de semana (vai entender?)

    -Cho, meu amigo proto-coreano:
    Vida mansa? C$%#@#... =P

    -Luiz Eduardo (e galerosa do Banco do Brasil):
    Faaala meu kirido! Valeu por dedicar a sagrada hora de trabalho para ler o meu blog! Eu sei como é difícil arrumar um tempo pra internet por aí, então deixo um agradecimento a todos que se esforçam pra ler! Em homenagem, uma das fotos de hoje é do "seu Kemper", lá em Santiago de Compostela, com a bike embalada. Quem encara uma viagem desse naipe, hein? Mas sério, queria dar uns rolés de bike com a galerosa de novo, eram bem divertidos aqueles domingos. Se pah em breve (ok, isso é só uma mera expressão, não levem a sério a noção de tempo que a palavra "breve" carrega) pedalamos juntos de novo.

    -Brunoro:
    Quer um Smart Roadster? São 30k dólares, transporte e os famosos 60% de imposto, mais um bônus no IPVA. Agora, se servir um de controle remoto, fica mais barato e dá pra mandar mais rápido. A da cara de pato... porra, tem um monte de foto, é a da japa-no-meio-com-o-japa-no-lado tirando-meleca-do-nariz? Hehehe, pô, eu achei a mina gata na hora, não sei se é que eu já tô muito tempo aqui ou se a foto ficou estranha em demásia. Mas eu postei mais pelo japa-do-lado-tirando-meleca-do-nariz...

    Ok, vamos resumir o que aconteceu e ressaltar os pontos importantes:

    Acabou a moleza de ir na escola primária. Na cerimônia de encerramento, rolaram algumas apresentações dos intercambistas, e eu e o Corvo mandamos uma de futebol lá. Se eu conseguir a fita e passar pra DVD disponibilizo pra galera, mas foi muuuito trash, comédia demais. Palha acabar, "but some good things must end". (foto é a molecada lá. eu estou atrás de todos, se conseguirem ver meu cabelo, é alí que eu tô)
    A prova, fiz, o resultado sai em fevereiro. Sei lá como fui...
    A minha banda (4flush - qualquer interpretação do nome tá valendo), resolveu apresentar no festival de final de ano. Foi complicado tomar essa decisão, já que tínhamos pouco mais de 2 semanas e fazia mais de mês que não treinávamos juntos. Depois de alguns estresses e várias vezes desistir/voltar atrás, acabamos entrando na onda de cabeça. Já foram 2 idas a estúdio na última semana, e tem mais duas (uma amanhã e outra na segunda, a apresentação é na quarta). Acho que vai dar, mudamos de estúdio também pra um beeem melhor, mais bem-localizado e, por incrível que pareça, mais barato. E eu continuo tocando num Marshall. Fotos depois, se pah vamos gravar um cd amanhã com as 3 músicas, se der certo eu ripo elas e disponibilizo.
    Comi carne decentemente duas vezes, e uma delas no restaurante brasileiro de "boca livre". Nossa, nunca havia pensado quanta falta carne faz, e o bem-estar que te dá comer aquele pedaço de picanha suculenta de churrasco ao ponto. A propósito, eu comi tão power no restaurante brazuca que eu fiquei sem fome até meio dia do dia seguinte (tomei café da manhã porque é necessário, mas vontade de comer não tinha não).
    Ficou mais frio ainda, não caiu neve mas de manhã cedo em algumas partes do lago que tem no parque aqui da frente já aparecem camadas de gelo.
    Saí pra dar um rolé de skate esses dias, dei uma andada de louco e, pasmem, achei um Kumon aqui! Pena que eu tava sem câmera e o celular tava sem bateria, não deu pra tirar foto.
    E por causa da friaca, eu e o Diogo acabamos comprando um "tight", é tipo uma roupa de baixo no formato de uma calça, e como o nome já diz (tight = apertado), é bem justa (foto). Fica por baixo da calça, lógico. A função: amenizar a sensação da friaca de 4°C que tá fazendo aqui. Só não vou colocar uma foto de eu usando isso que aí minha imagem que já está ruim vai pro saco de vez.

    E no mais foi isso, nada de muito novo não. Não me perguntem como, mas eu consegui gastar muita grana este mês. Tá, comprei roupa pra frio e um tênis a prova d'água (que ficar com o pé molhado nessa friaca deve ser o final), mas fora isso nada de excepcional. E, quando eu mais quero economizar, mais eu gasto grana... Vai entender?

    Abraço galera, até mais ae!

    segunda-feira, dezembro 05, 2005

    O fim! Isso quer dizer...?






    ...que acabou, ué? Fãs, não menosprezo vossa inteligência, porém é simples: passou a prova de proficiência, acabou O Ramadã. Status:
    Costas: ficaram lá na primeira semana de estudo;
    Músculos do Braço Direito: duraram até o 3º pacote de 100 kanjis;
    Olhos: que olhos?
    Conhecimento de Japonês: de alguma forma aumentou, só que eu não tenho como comparar;
    Desempenho na Prova: foi melhor do que estava antes do Ramadã, ainda bem. Mas será que passei? Espero que todos os meus infortúnios com a Mega-Sena sejam recompensados na minha marcação randômica deste Domingo. Não ganharei milhões de reais mas pelo menos não vou precisar passar por isso ano que vem de novo. "Isso" se refere à prova nível 2, que se eu passar nesta terá a de nível 1, e eu não sei o que é pior, repetir a 2 com mais experiência ou fazer A 1.
    Conta Bancária: Quem disse que estudos forçados não afetam a sua conta bancária? Pra aliviar o stress acabei usando demais este recurso. Tá, não vou morrer de fome, mas vou ter que me controlar até dia 23, começo das férias e quando recebemos a bolsa.

    Bom, dado o relatório, comecemos com o que está faltando (de forma resumida pra não ficar pesado de ler):

    Osaka motor show:
    Pra quem gosta de carros, salões de automóvel são uma ótima pedida. Lançamentos, tops de linha, carros conceito, temos de tudo! E, todos ao alcance da sua mão! Eu digo, em distância a qual você poderia encostar, porém alguns não se pode "encostar", mas é como estar na 1ª fila do show, dá pra correr e subir no palco, mas cooom certeza vão te enfiar a porrada e te tirar do evento. Bom, mas existem carros que você pode entrar! Tinham vários, mas por causa de tempo só entrei em 4: Mazda RX-8, Nissan Fairlady Z 350 (ou o 350Z), Smart Roadster Coupe e Volkswagen Touareg. É bom poder sentar em um carro high-level uma vez na vida, pelo menos. Quem sabe não role repeteco? Bom, fora carros, tem também as mulheres que apresentam os carros. Segue a foto de uma, ela não tava apresentando nenhum carro, tava no stand do jogo GrantTurismo 4, mas o massa da foto é que tem um tio tirando meleca no canto. Ha-ha! Deu mole, foi pra net!

    Fui também à apresentação da Escola Primária a qual eu frequentava todas as sextas-feiras em substituição da minha aula normal. Bacana a molecada tocando música e cantando, foi bem divertido! Não vou postar nenhum arquivo quanto a isso porque eu fiz só alguns vídeos, depois eu passo pra galera. Isso foi no sábado passado, nesta sexta agora (dia 02 de Dezembro) foi nossa vez de apresentar. Eu e o Colômbia fizemos uma apresentação comédia de futebol, assim que chegar o vídeo eu passo para vocês também. O palha que esta sexta foi a última que fomos. Palha não só porque eu vou voltar a ter aulas normais nas sextas (e por consequência acordar cedo), mas porque realmente a molecada é mó comédia. A despedida me lembrou um pouco o dia que eu saí do Brasil, mas acho que eu, de certa forma, já me acostumei com despedidas. Triste, mas foi divertido. Mais uma boa lembrança!

    E, sábado passado (dia 26 de Novembro, depois da apresentação da Escola Primária), fomos a Arashiyama, em Kyoto (algo como uma hora e 350 ienes de trem) para apreciar o outono. Tá, soa meio bixa, mas é bacana dedicar um dia a dar um rolé, ver as árvores de Maple vermelhas e relaxar. Não estava nos planos, mas acabamos alugando barcos a remo (daí a foto do outro post), e subimos num monte com macacos. Fomos só eu, o Diogo, a Oo-san (namorada dele) e a Sim (colega de sala). O resto tudo furou, inclusive uma japa que tava de ir comigo, mas que se dane, foi comédia demais. E FRIO também, só não barra agora, mas isso eu posto depois, ficou grande até. Amanhã devo postar outro pra atualizar de vez.

    Aproveitando a deixa, amanhã faço aniversário de 8 meses de Japão! Promoção para os leitores:
    Valendo uma folha de Maple, via correio, as 3 primeiras pessoas que responderem esse post com "Ô porra! Eu leio esse bagulho sempre, mereço alguma coisa! Meu endereço é (coloque aqui sei endereço), e não demora pra mandar!" eu mando. São folhas de Maple originais de Arashiyama-Japão, coletadas especialmente por ninguém menos que Eu! Se pá eu escrevo uma carta acompanhando a folha também, então se dediquem!

    Aah, respondendo os comments:
    ->Não, eu não vou voltar praí se não passar na prova. Foi só um "incentivo" que me deram. E eu acho que eu não deveria dizer isso, mas quem quer que venha pra cá (ex: dona Marília) acho que vai acabar estudando por incentivo próprio. E ano que vem é Tóquio, só não vou a Tóquio se me expulsarem do programa, o que eu acho meio improvável.
    ->Fui mais ou menos bem em todas as provas até A PROVA. Mas quem disse que acabaram? Esta semana tem prova normal, e assim segue o rumo até a última semana de aula, onde eu terei umas provas pedreiras acumuladas. Vaaai querer ganhar dinheiro, vai...
    ->Hehehe, a "compenetração" da foto foi só para fazer uma pose mesmo, tenho que dizer que remo é realmente fácil, mas no início tu acaba andando em zigue-zague e se molhando, digamos, "um pouquinho".
    ->Stress seu Kemps, tem não! Vide minha conta bancária! Hehehe, mas sério, de vez em quando é bom um pouquinho de stress, na verdade o bom é a sensação pós-stress. Agora tô livre! Parabéns pelo 4º semestre, manda bala! Eu começo minha vida acadêmica, finalmente, ano que vem. Cara, vai ser enrolado assim lá na caixa pregos, hein?
    ->Daniel-san meu kirido, tenho blog e o seu tá na minha barra lateral. Confesso que não vou muito lá, mas vou ver se começo uma frequência.

    Abraço a todos, beijo a todas, obrigado por ler até aqui!

    segunda-feira, novembro 28, 2005

    Remando contra a maré


    Fãs, não morri. Tá, estou perto do estágio "preferir a morte", mas acho que vou sobreviver. Esta semana agora vai ser, de longe, a mais puxada que eu já tive. Tenho prova todos os dias, sendo que segunda (amanhã) e quinta serão as mais puxadas. Pra colaborar, sexta eu ainda tenho que fazer uma apresentação na escola primária. E domingão é a hora da verdade. Quer dizer, eu já sei que eu vou rodar, a menos que eu seja premiado na loteria. Mas tudo bem, já me falaram que não tem problema eu não passar (versão oficial), o problema é que eu não gosto de rodar em provas. Bom, vou continuar em ritmo frenético até a prova, depois eu atualizo direito.

    Coisas a falar:
    -Osaka MotorShow (Salão de Automóveis de Osaka)
    -Momiji (ou Maple, aquela folha da bandeira do Canadá)
    -Apresentação da molecada da escola primária (e explicar da escola primária)

    Ah, e agradecer quem posta mensagens, vou responder direito no próximo post, mal aê!

    domingo, novembro 20, 2005

    Tem doce mais doce que o Doce de Batata-Doce?

    Salve leitores do meu blog, poucos mas fiéis. Talvez mais fiéis que eu a escrever, mas tudo bem. Primeiramente deixar um abraço à tia Soy e família, valeu por aparecer na área, mando um mail decente depois! E agradecer a quem quer que leia isto. Ok, fiquei um tempo sem escrever, e vou contar só de quinta pra cá.

    Quinta, voltamos a Nara (a cidade das colegiais). Iríamos fazer o mesmo trajeto, agora em dia de semana, e mais frio, o que me fez acreditar que diminuiria a chance de aparecerem colegiais de saia curta. Saímos do colégio e começamos a viagem bem: a professora já entregou uns deveres de kanji no ônibus pra fazer no final de semana e nós ainda tínhamos que falar umas frases que tinha que decorar. Ótimo, no dia de folga não consigo me livrar dos estudos! Mas beleza, vamos que vamos. Chegando lá, a friaca forte, fotos, e primeiro templo. Incrivelmente, contra todas as expectativas, começaram a chegar umas duas escolas de segundo grau, CHEIAS de minas com saia curta. Cara, fenomenal esse Japão, pode estar 10 graus e as minas ainda vão de saia curta! Ok, sem reclamações. Como o templo era relativamente pequeno e tinha nego do nosso colégio por toda parte, resolvemos deixar pro templo de tarde pra ir fazer contato, o que não impediu de zoar um pouco com as minas lá mesmo. Almoçamos e fomos para o outro templo. Chegando lá, nada das colegiais, e como TODOS da minha sala já haviam vindo para cá, resolvemos nos deslocar para outro ponto que estava no nosso roteiro. O massa é que, 5mind depois que resolvemos sair, o Diogo pega e me envia um SMS dizendo "ae muleque, baixaram as kokoseis aqui!!!", e esta hora já não dava pra mim voltar... Eu e meu problema eterno de posicionamento...
    Beleza, resolvi ignorar isso e curtir um pouco de tempo livre com minha turma. A nossa professora conselheira pagou um sorva pra nós enquanto esperávamos gás para subir um morro (para onde estávamos indo depois do templo). Por proposta da 'fessora, fizemos uma corrida até o topo e voltar. De boa, o morro tinha uns 40 metros de altura até onde dava pra subir, começava com 30° e lá em cima eram uns 45°~50 °, mas quem disse que eu sabia disso quando entrei na corrida? O início foi fácil, todo mundo saiu no gás, mas quando foi apertando, sobrou eu, o Leonardo (vulgo Colômbia) e o Migaa (um cara da Mongólia) no mesmo pique. Nossa, como eu me senti feliz a tocar a cerca no topo, o corpo já tava no migué, mas o resto tava tranquilo, era descida, e como dizem: "pra baixo, todo santo ajuda". Descer 50° com suas pernas na pilha de SUBIR 50° é perigoso, eu já não tava sentindo minhas pernas e comecei a descer morro abaixo, correndo. Nestes momentos eu me lembrei daqueles jogos escoceses meio toscos. Quando retomei o controle das minhas pernas, comecei a freiar, uma vez que eu gosto dos meus dentes no lugar certo. O problema foi que o Colômbia (a.k.a. Leonardo) não considerou isso e acabou me atropelando, indo os dois latino-americanos pro chão. Menos mal que não rolamos nem nada. Levantei, e fui terminar a corrida, pena que fiquei um pouco atrás do Migaa só. Subi PUTO querendo espancar o Leonardo (ou Colômbia), mas acabou que demos risada do evento e de eu estar com uma marca de barro forte na calça, na altura do joelho esquerdo. A volta foi tranquila, depois da "brincadeira" eu chapei bonito no ônibus, fechei o olho em Nara e acordei em Osaka.

    Sexta, como nossas sextas tem sido, fomos ao Shougakko (escola primária). Desta vez fui para os estudantes do 1º ano (vai de 1 a 6 o primário daqui), e chegamos bem na aula de culinária. Aula do dia: Doce de Batata-Doce! Bem simples de fazer (lógico, pra a mulecada fazer!), o que me chamou a atenção foi um gordinho que, não sei por que, não assou o doce dele e acabou perdendo o dele entre os que não estavam assados. Tá, isso não tem nada de interessante, o que foi "diferente" foi que o muleque ficou BEM triste, e o jeito que ele chorava não era nem perto da galera primária do Brasil, o muleque deu A segurada. Achei power pra um menino de 7-8 anos. Tá, é só uma pessoa. Mas daí, nos últimos horários, não me perguntem com detalhes que eu não ainda não entendo tão bem japonês, ainda mais quando eles resolvem falar em metáforas. Alguém fez alguma coisa errada no dia anterior e eles esconderam da professora. E ela descobriu, e tava querendo fazer a pessoa que fez falar, pra dizer que era errado. No fim das contas era uma guriazinha, e ela chorou na mesma mocó que o gordinho. Será isso cultura japonesa, casos separados ou eles já tem noção de não fazer escarcéu? Ok, foi um comentário meio retardado, mas isso me chamou a atenção, não me perguntem por quê.
    Depois de acabada a aula, fomos ver roupas de Ski em Umeda, uma vez que estamos planejando de viajar no final do ano de galera. Acho que vamos ficar na idéia de comprar, um conjunto sai por mais ou menos 600 dólares, se quiser bota de ski também vai pra uns 850, isso com os itens mais di boa. Como alternativa, eu e o Colômbia (já sabem), fomos a Shinsaibashi procurar em lojas de roupas usadas. Não tinha nada de mais, acabamos voltando pra encontrar com o Diogo em Umeda. Não encontramos, demos uma zoada com umas kokoseis (2º grau) que estavam por lá e voltamos pra casa.

    Hoje (sábado), resolvi dar uma corrida pra relembrar meu corpo o que vem a ser "exercício físico". Fui de berma e camiseta dryfit correr lá fora. Só esqueci da amplitude térmica entre meu quarto, isolado e sem vento, e o exterior. Corri os 4km num gás massa, congelando, mas foi bom pra acostumar a mente para a situação "neve". Depois reunimos a Yakuza Latina (eu, Diogo e o Leonardo/Colômbia) para falar com um agente de viagens. Figura bacana, achou uns esquemas massa pra nós, mas vai dar uma procurada mais power até o final da semana pra fechar um programa mais barato de esqui. E hoje, matei estudo, como sempre, "fica pra amanhã".

    Só pra deixar respondido:
    Não, não rolou nada com a Yukari, já perdi contato faz tempo, mas valeu o toco pra aprender como funfa aqui no nihon (ainda estou "aprendendo", nada de êxitos ainda ¬¬)
    Tá um frio do cão, e o que me deixa feliz é saber que vai piorar. Quero ver como vai ser na época 3 graus...
    As notas, de kanji foram bem até. De 50 cada teste, tirei 20/49/48/35, sendo que o 1º foi antes do início do Ramadã. O último só tava foda mesmo. Mas não tá tão puxado quanto eu deveria, não tenho disciplina suficiente pra puxar isso tudo sozinho, preciso de um "Personal-Teacher 24h" ou algo do gênero. E depois de uns exercícios da prova que eu tenho que fazer em 2 semanas, comecei a considerar que, salvo forças Divinas ou todo azar que eu tive em loteria se converter em sorte agora, vou rodar no teste. Ok, ano que vem tem outro, e parece que não é tão rígido assim não passar, mas que eu não gosto de ficar rodando em prova... "Se não gosta, estuda!", tá eu sei, mas não é tão simples assim, ou é e eu que complico demais. Falta um parceiro de estudos...

    Abraço galera, aproveitem por aí!

    quinta-feira, novembro 03, 2005

    6 meses e 29 dias depois...

    Caiu a ficha. É, fui fechar a caixa hoje pra galera lá de casa, daí fui escrever umas cartas e de repente caiu a ficha. Não me desmanchei em lágrimas, mas deu uma pala temporária. Bom, agora posso dizer que eu estou no Japão...

    No mais, primeiro dia de Ramadã não avancei tanto quanto precisava, mas foi cansativo. Consegui estudar 20 kanjis em 4 horas, e pra quem tem que saber 191 pra segunda-feira, acho que eu tô lascado... Mas ainda tem sexta de noite, sábado e domingo, vamo ver no que dá.

    Fim do post, pequeno mesmo hoje.

    quarta-feira, novembro 02, 2005

    Ramadã


    Hoje acabou o Ramadã dos islâmicos da Indonésia, alguns dos quais são meus amigos. Ramadã, para quem não é muito inteirado dos hábitos da turma do tio Bin, é um período de 40 dias em que se faz um "jejum". "Jejum" entre aspas mesmo, no sentido figurado, que eles só não podem comer enquanto tem luz do sol, mas antes do sol nascer e depois dele se pôr vira boca livre. Tá, não é fácil ficar por volta de 12h sem comer, mas não é o fim do mundo (diga-se de passagem eles não emagrecem neste período). E o que isso tem há ver com a minha vida? Simples:

    Venho por meio deste informar que, em igual proporção, porém por outros métodos, iniciarei o meu "Ramadã" hoje. Não, não tem nada com mulheres ou qualquer outra conotação sexual, tampouco por comida. Entretanto, a parte de "privação de alguma coisa" não é também a ênfase. Resolvi de amanhã em diante (Quinta-Feira, dia 03 de Novembro de 2005, feriado) começar um período de 30 dias extensivos de estudo.

    A privação: fim do tempo de bobeira, diminuição drástica no tempo dedicado à arrozar.
    Os meios: adiantar (ou melhor: des-atrasar) os meus estudos, tendo em vista O teste que tenho que prestar dia 04 de Dezembro.
    A recompensa: calo na bunda, piora na visão, redução da sanidade mental, aumento sensível do status na escala de nerdice e, quem sabe, uma chance de passar.

    O que isso tem há ver com vocês?
    Bom, eu devo sumir nos dias de semana do MsN, mail eu só vou ler antes de dormir, se quiserem me contatar, se pá nos finais de semana ou via meu mail do celular, preferência pelo cel que eu posso responder nas virtuais horas livres. O blog, bom, acho que já calejaram, mas eu vou ver se atualizo semanalmente, mesmo porque só vou entrar na net nos finais de semana...

    Tá, acabou o Ramadã dos Islâmicos, começou o "Ramadã" do coleguinha que tá no Japão.

    Report periódico:
    Jogamos airsoft no parque. Lógico, depois de eu insistir pra tomarmos todos os cuidados e fazermos os testes de barulho, no final das contas deu certo. Parece nerd da minha parte, tá, é nerd, mas assim dá pra manter a galera longe da cegueira e nossas armas longe da polícia. Tenho histórico com armas de bolinha e polícia, mas não vem ao caso agora...

    O teste de todo o colégio, claro, RODEI. Mas era de se esperar, o nível do Japonês era maior que o normal, e como minha turma é de baixo nível, e o vento foi forte também...

    Ah, o dinheiro chegou. E, como mágica, já saiu... Paguei o Leonardo (ou "colômbia", ou "corvo") que ele tinha financiado as armas de airsoft, paguei a conta bombada de internet (os caras me cobraram um pacote de 3 meses, já que o débito em conta não funfou), paguei o seguro de saúde, paguei um rango decente pra mim mesmo depois de uma semana na miséria, e refiz uma parte das minhas reservas.

    VOU MANDAR A CAIXA GALERA DE CASA! Chegou a grana, não tem mais motivo de eu enrolar, vou fechar ela amanhã de noite, que de dia é ramadã e eu tenho que estudar, e de quebra já vou mandar altas coisas no correio. Mal a espera, acho que até a páscoa chega!

    No mais é isso, tá grande, boa sorte... aaaaah! Como eu esqueci? Na aba do Office do Dorm, fui à Nara, cidade próxima de Osaka, onde tem bastante templos. Bastante coisa bacana, mas o mais interessante foram as kokoseis (estudantes do ensino médio) de saia curta, e tinham MUITAS! Ver foto!

    Abraço galera, comments sempre bem vindos!

    quarta-feira, outubro 26, 2005

    Tava na hora...




    Ok, vamos tentar resumir mais ainda:
    Junho foi um mês bacana
    Julho foi um mês legal
    Agosto foi um mês divertido
    Setembro foi um mês comédia
    Outubro tá acabando
    Novembro tá chegando
    Dezembro eu não sei ainda...

    Próxima atualização em Janeiro...


    Hehuehue
    Bom, tô cortando tudo pra ficar up-to-date, finalmente.
    Começando por um resumo desta semana:

    Domingo resolvemos parar de enrolar e compramos nossas armas de airsoft. Acho que vou postar uma foto do meu equipamento. Salgada a brincadeira, o que não esperávamos é que a bolsa deste mês só chega semana que vem, mas as contas não esperam. Tomamos no c*, reservas entrando em ação =P

    Tá frio que só a gota aqui, o que me consola é que vai piorar. Tá, 12 graus não é o fim, mas o ventinho consegue deixar isso de uma forma mais tensa. Casacos entrando em ação, também...

    Inverno chegando, clima ficando seco. Não que eu não goste de seco, mas eu tô desacostumado, e daí já vieram enfermidades comuns da secura: nariz trancando de noite e pah. O massa foi eu ter que me deslocar até um hospital segunda de madrugada que meu nariz tava impossível. Não adiantou muita coisa, a tia me deu um remédio pra gripe e só. Resolveu, pelo menos =)

    No mais é isso, tô esperando a roupa terminar de lavar pra eu sair na varanda da friaca e estender as paradas, e ver se eu estudo alguma coisa pro mega-hiper-motherfucker-teste-geral que vai ter amanhã no colégio. O bom de ser das turmas mais baixas é que essa nota não fede nem cheira pra nós. O ruim é fazer o teste que começa às 9:00 e acaba Às 16:00, 1h de almoço no meio. Vamo nessa!

    Abraço galera, vou tentar postar com mais frequência!

    Fotos: Em cima da cama, minhas coisas (uma beretta M92F, coldre de ombro, gás, máscara de proteção, mascara preta -outra foto depois-, bolinhas, bla bla bla)
    No chão, coisas do Diogo (uma Hi-Capas 5.1, máscara bla bla bla)
    Close da arma, arma do Diogo

    -> o Corvo (ou Leonardo, ou Colômbia) comprou também, mas não tá na foto...

    quinta-feira, junho 16, 2005

    16 - MIB de novo!

    Acabou que para acordar foi uma bosta também... Acordar às 6:30 foi fácil, o difícil foi se manter acordado. Fiquei naquela lengalenga de acorda/dorme até umas 7:10 quando tomei vergonha e acordei o Diogo via telefone (cara, esse lance de telefone/interfone é muito útil!)
    A aula rendeu nomal. Como sempre, intervalo do almoço rola um Wartran pra relaxar. Hehehe, estamos ficando melhor, mas com uma ficha apenas passar da 3ª fase já tá complicado, quanto mais sobreviver na 4ª. Acertamos que no dia que sair a bolsa (provavelmente dia 20) vamos jogar 5 fichas pra ver até onde vamos. O resto da aula também di boa, acho que o japonês tá evoluindo, ou meu nível de abstração atingiu um ponto tão grande que eu consigo simular que estou entendendo coisas... Naah, acho que tá evoluindo mesmo!
    Fim da aula, fui com o Leonardo (vulgo Corvo), dar um rolé em DenDenTown. Primeira parada foi um gunshop de armas de airsoft. Tudo começou com CS, depois veio o Wartran e talvez a próxima evolução vai ser o Airsoft. Muita coisa doida por lá, tem literalmente de tudo! Falta só achar onde jogar, mas na falta de opção rola de jogar de noite no dormitório contra os vigias do Office. Em seguida fomos para uma loja de pc, a mesma que o Chuba comprou o pc dele e do mesmo grupo que eu comprei o meu. Putz, os japas daquela loja são realmente pouco cooperativos. Arrego! No final das contas conseguimos mais da metade das infos que queríamos, de certa forma é uma vitória.
    Rumo à estação, paramos num McDonnalds e depois numa loja de DVDs. Primeiro andar era mais para jogos, segundo andar para DVDs de filmes, muitos títulos interessantes que eu já vi ou que eu queria ver, e não tão caros assim. Em breve vou passar lá com mais grana, que este período de fim de mês financeiro é trash. Terceiro tinha muita coisa de anime e séries japonesas, inclusive DVDs do jáspion e do black kamen raider! O triste é que cada um estava por volta de 8000 ienes e parecia muito home-made. Quarto e quinto andar só putaria. Sim, pornografia MESMO... Esses japas são meio seqüelados, tu andando pela seção e rolando altos vídeos pornôs, detalhe que o andar de baixo é a seção de animes. Mas beleza, nada contra, tava até divertido, a pornografia japonesa é, de certa forma, engraçada. Diferente da americana e da brasileira com certeza, tem suas particularidades. Quem vier ao Japão, não deixe de conhecer as lojas de pornografia e seus vídeos!
    Chegando no bagaço em casa, e dividindo um minigame do megaman que o colombiano havia comprado há pouco na DenDenTown, quem disse que tive pilha de ir no Let's Talk In Japanese? Acho que faz 1 mês que eu não vou (4 dias, tecnicamente). Acho que semana que vem eu tomo vergonha na cara e vou. Mas hoje foi proveitoso para adiantar o Need for Speed.
    Mais à noite rolou uma conversa com o Corvo e o Damien sobre uns lances de religião. Conversa meio louca, diga-se de passagem, uma vez que o colombiano é, creio eu, ateu, eu não levo muito a sério as palas de igreja e o Damien é um cristão com bastante conhecimento de Voodoo e outras coisas místicas vindas da África. Duas pessoas com uma visão racional do mundo conversando com uma pessoa religiosa, mas ambos os lados respeitando a visão do outro é, no mínimo, interessante. Se continuar nesse ritmo eu e o colômbia viramos crentes, e o Damien, ateu...
    Fim do "papo-cabeça", parei no meu quarto, com os arquivos que eu havia acabado de receber do Brunório e refiz o MIB. Cara, aquele vídeo é demais! Queria agradecer aos lekes que ajudaram, Leo Dib (Ramirez!), Vinnicius (Nopa!), Bruno (Brunório!), Pedro Malta ("Seu Preto"!) e às meninas que ajudaram, Leila e Laly e a qualquer outra pessoa que tenha ajudado que no momento eu não lembro. Valeu mesmo, aquele vídeo me traz boas lembranças, e é muito comédia! Espero podermos fazer outro depois!
    Acabei dormindo 1:30 com sempre, agora está ficando mais fácil de se manter acordado até tarde.

    quarta-feira, junho 15, 2005

    15 - Teste do Exame de Proficiência

    Chapei com tanta força que acabei não acordando. Na verdade eu acordei às 6:30 como todo dia, pra morgar até às 7:00, mas a cabeça só conseguia acordar pra desligar o snooze do celular. O problema é que o snooze vai até 20 min depois apenas, e acabei acordando na pala 7:30. Acordei tarde, mas por sinal não fui o único. Liguei pro Diogo e acabei acordando a peça:
    -Leke, massa? Acordou agora também?
    -É, que horas são?
    -7:30, vamo tomar café?
    -Dá não, tá tarde.
    De fato, eu não tinha pensado ainda no fator "colégio". Tá que eu tenho folga suficiente pra chegar lá, dá pra sair umas 8:00 de casa que consegue chegar em tempo, mas como eu ainda tinha que fazer o kakitori da aula de LL resolvi tocar logo e manter a marca de sair de casa 7:45 todo dia. O "café da manhã" foi um pacote de biscoito amanteigado seco que eu comi no caminho pra estação e uma coca-cola que eu tomei metade antes de entrar no trem. Fora o imprevisto de quase não acordar o resto do dia foi bem proveitoso, como minha teoria de dormir 4 horas apenas fala. Eu até gosto da idéia, só que tem uns pequenos problemas: 1- acordar depois do 3º dia fazendo isso; 2- manter-se acordado para dormir apenas 4 horas; 3- aturar a estafa física. Mas o dia foi lucrativo em termos de aprendizado, e é o que tá contando por enquanto.
    Putz, eu tenho uma sorte ímpar: nas proximidades do nosso colégio tem uma escola feminina de ensino médio. Sim, aquelas minas com roupas parecendo de anime, ou de hentai se preferirem, de monte num só lugar e sem macho por perto. E geral do nosso colégio iria passar a tarde lá conversando com as minas. Até aí é de boa, a parte triste é que tinham poucas vagas, eu não fui sorteado pra ir e pra completar o Leonardo (corvo) e o Diogo foram. Porra, é de ficar puto ver as fotos que nego tirou lá, mas pensando pelo lado bom, vamos esperar que os coleguinhas coloquem as minas na fita, uma vez que eu duvido muito que eles dêem conta de 100 gurias. Ah, para o pessoal que não foi, rolou um treino do exame de proficiência de japonês nível 4*. De certa forma eu fui bem, mandei 80%, mas tem que melhorar muito ainda. Se eu mantiver essa média para o nível 3 tá beleza, pena que não dá pra fazer a prova de todos os níveis, tu tem que escolher uma e só um ano depois que pode repetir o teste. Acabado o colégio, voltar pra casa.
    As proximidades do nosso colégio são um tanto quanto estranhas, volta e meia tem alguma coisa estranha acontecendo. Hoje foi na linha de trem, quando mais uma dupla que perdeu no "verdade ou consequência" resolveu pagar a consequência: um dos caras, com um guarda-chuva fechado, levantou, ficou gritando umas coisas ininteligíveis com uma voz fina muito feia para o que tava sentado e jogou o guarda-chuva no chão com toda força. Não suficiente uma vez, repetiu os sons e jogou o guarda-chuva mais algumas vezes no chão, até que quebrou o cabo e a criança sossegou. Criança não, o cara devia ter uns 20 ou mais anos. Pra completar a tosquice, um outro cara ainda manda um espirro que mais parecia um "Áak!!!". COMO que eu consigo segurar o riso com uma coisa dessas? Os japas já tem a moral de mandar uns espirros escandalosos e engraçados e eu já acostumei com isso, mas volta e meia vem alguma coisa nova na área...
    No dormitório rolou o básico: NFSU2 (dei uma adiantaaaaaaaada), fazer nada, ficar comendo e falando besteira na cozinha e depois subir para adiantar um pouco os textos do log. Não deu pra aguentar até muito tarde para o projeto de dormir apenas 4 horas. O sono megahipermotherfucker resolveu bater com força, tive que ceder e dormir 12:30. Será que amanhã vai render?

    Exame de Proficiência de Língua Japonesa: são 4 níveis, o 1º é o mais complicado, cobrando uns 2000 kanjis, em seguida vem o 2º com 1000 kanjis, 3º com 300 e o 4º com 100 (se não me engano). E, claro, com gramáticas mais desenvolvidas proporcionalmente ao número de kanjis. É requisitado que no fim deste ano façamos a prova de nível 2. O mínimo é a 2, mas creio eu que minha turma não vai chegar ao ponto de dar o master no nível 2. E, claro, se não passar, Paulinho volta para o Brasil...

    terça-feira, junho 14, 2005

    14 - Pacotão da Alegria

    Dormi bem, o que já me indicava que o rendimento de japonês iria ser demente. Mais uma vez fui autista para o colégio com o discman rolando um "NFSU2 soundtrack". Até que o período matutino não foi tão triste, mas meu kakitori deixou muito a desejar: esqueci 2 kanjis e ainda troquei mais 2, sem contar os eventuais erros de hiragana. Sem problemas, toca o sinal pro rango e vamo nessa! Teve carne de monstro com alguma coisa que eu não sei bem direito, mas até que tava bom. Como sempre, rolando um Wartran para relaxar. Agora já estamos ficando bem, se bem que eu sou o pior dos 3: o Corvo tá mandando bem, o Diogo é viciado, eu só mato geral no estilo Eufrazino, ou se preferirem no "american way of shooting". Aproveitei também pra mandar o mail pra Yukari, acho que ela deve ter entendido mal a minha atitude de domingo(ou entendeu bem demais, vai saber?).
    Voltando ao colégio, desta vez sem anshobun para decorar depois do almoço, e começamos a aula. Incrível como o rendimento que parecia estar bom deu uma decaída sinistra em menos de 20 min. Eu parecia ter me tornado um lóide sem capacidade de raciocínio de uma hora para outra, como que por mágica. Minha sorte foi que tivemos um intervalo que deu para pagar um ronco massa, mas mesmo assim não ajudou. Fui salvo da leitura do livro, que por sinal estava cheia dos novos kanjis que eu não consegui memorizar em 50min de aula, pela aula de LL. Não que eu tenha sido salvo, porque o LL foi pior ainda, eu mal e mal entendia o que falavam naquela fita do inferno, mas no finalzinho comecei a pegar o jeito de novo.
    Vencida mais uma etapa do colégio, hora de voltar pra casa. Como sempre, dando pala no trem, mas um pouco mais controlados, chegamos à Minami-senri, onde rolou a parada obrigatória pra fézinha. 200 ienes e um papel com 6 números, será que sai alguma coisa?
    Ao chegar no dorm, finalmente a caixa do Brunoro chegou, e também um cartão postal da loja de mergulho que eu visitei na sexta. Foi engraçado ver uma caixa da ECT com altos "My Bitch" e "China véia" escritos na lateral sendo entregue pela tia da recepção. Okashii talvez defina a hora. Já rolou de assim que chegar no quarto abrir a caixa e começar a desmembrar os DVDs, agora passando pra CD o NFSU2 e o Premiere Pro. Os outros ficaram pra depois, mas já deu bastante diversão voltar a jogar Need e ver um pouco do filme do MIB que nós fizemos há um bom tempo atrás. Pra quebrar um pouco a alegria rolou a resposta do mail que eu tinha mandado de meio-dia, e a tradução sai algo mais ou menos assim: "Obrigada pelo chocolate, estavam gostosos. Estava um pouco ocupada (isogashikatta, flexão do maldito adjetivo para o passado) por isso não pude mandar um mail...". É, já era, deixa queto e ramunessa.
    Momento relax entre os latinos, fomos bater um rango lá na cozinha e depois ficamos nadafazendo aqui no meu quarto, até que o Corvo mandou um peido escroto e dissipou a galera. Hijo de puta, cabrón malparido (como o próprio diria numa situação dessas). Morgação passa, vem a depressão de ter que fazer as coisas que tem que fazer. Como eu decidi testar na real se o fato de eu dormir pouco auxilia no japonês, sobrou um pouco de tempo para adiantar os textos deste log que eu estou devendo há muito e ainda dar uma mini-arrumada no quarto. Chapei com força depois.

    segunda-feira, junho 13, 2005

    13 - O silêncio que precede o toco

    (deve estar meio estranho que eu escrevi achando que eu iria continuar escrevendo detalhadamente até chegar neste dia... a propósito, esse é o de um dia só)

    Acabei dormindo apenas 3 horas para acabar tudo que tinha que fazer, e acabou sendo um dia bem desenvolvido em termos de japonês: rolaram piadas, tirar dúvidas e o escambau. O que me deixa na dúvida se eu fico bom em japonês por dormir pouco apenas, por tomar coca apenas, pela junção dos dois ou apenas por um acaso do destino eu fico bom nos dias que eu durmo pouco. Seu Kemps, se dedica a pesquisar isso depois cara, vai que dá dinheiro essa idéia? Ah, e por enquanto nada do mail da Yukari.
    De meio dia, mais uma vez, rolou o Wartran na filosofia do 1 crédito apenas. Desta vez as miras de TODAS as armas estavam tronchas. Conseguimos convencer o cara da loja que tava trash e ele foi lá dar um help, e nesta hora entendemos o porquê que sai torto: o tio tinha a moral de mirar mais tosco que o Rambo atirando. E graças à nossa frequência na loja acabamos conseguindo o direito de calibrar as armas também, o que tornou o jogo beeeeeeeeeeeem mais relax. Meio dia e nada do mail ainda. Essas japas são estranhas, se tu dá bom-dia elas mandam um mail agradecendo 5min depois que tu vaza, se você dá um presente elas tocam o foda-se. Vontade de mandar alguma coisa não falta, mas vou dar tempo para a isogashii-girl processar a parada.
    Volta, decorar anshobun como sempre, mais aula e acaba. Descendo em Minami-senri, sem o mínimo gás de ir pro dorm, fomos para o Jusco e pra Midori dar um rolé. O Diogo acabou comprando um ventilador com uma viadagem de "ion", 400 ienes a mais mas vinha com essa frescura. Se alguém souber que birosca é essa de ventilador com "ion", me manda um mail ou se pah até me liga que essa me deixou bolado. Um leve rango no Osmar (McD) e volta pra "estudar" um pouco. Claro que rolou um Half-life, bater um rango e depois sim estudar.
    Como tinha pouca coisa, acabei cedo (12:00), só que o Diogo tava sem moral de estudar no quarto dele porque ele tava pagando ronco, e veio pro meu pra se obrigar a ficar acordado. Bele, aproveitei o ócio para redigir um mail pra Yukari, só que na idéia de mandar só amanhã. Fiz alguma coisa meio tosca, só que agora meus textos já saem com algum sentido. Dioguitz mandou a correção básica e deixei salvo pra enviar no outro dia, como já havia planejado.

    Resumão até dia 13 de Junho





    Ae galera! Faz tempo, foi mal. Eu acho que dizer que eu tô ocupado já é desculpa batida, né? Mas é o que rola, foi malz. Acho que pelo menos uma semana eu vou postar seguido, pois eu já tenho escrito uns 5 dias de Junho. Espero que alguém esteja lendo ainda, mesmo que isso tá sempre atrasado... Bom, se divirtam, e abraço galera!


    Junho foi mais um mês divertido, como sempre, mais novidades na Terra do Sol Nascente. Continuamos a jogar Wartran (jogo de tiro que dá pra jogar até 4 pessoas). Entramos na época de chuvas, e pra começar bem no primeiro dia de chuva eu esqueci o bendito guarda-chuva. Não obstante esquecer, ainda fui dar uma de gostoso e não peguei carona no guarda-chuva da professora gata de terça-feira. Em compensação, na volta peguei carona com uma com uma amiga gata, o que me levou a cogitar "esquecer" mais vezes o guarda-chuva. Meu PC finalmente chegou, e eu dei uma arrumada no quarto. Pra deixar o PC pronto pra uso, resolvi matar o "Let't Talk in Japanese" (o que depois acabou virando uma desistência total, bundei MESMO). Fui treinar skate um dia de noite e tomei o meu primeiro tabaco, claro, na hora que eu tinha tirado a proteção. Vai babaca, vai!
    Sábado (04), niver da minha mãe, resolvi agitar um cartão telefônico internacional. O que me impedia de sair de casa foi uma chuva de granizo, mas felizmente tinha passado. Tive que ir e voltar umas 3 vezes ao Lawson (uma conbini aqui perto) pra poder agitar o dito cujo. Mandei os parebéns e chapei na cama.
    Domingão, como a vida de solteiro longe da família manda, trabalhos do lar a fazer. Neste momento eu consigo imaginar é Dona Sandra (vulgo: mãe) rindo e pensando "agora tu sabe como é né?". Mas como não tem muita escolha, sobrou uma mega-lavada de roupa pra fazer. Por sorte tava rolando uma espécie de concerto de kokoseis (kokosei = estudante do segundo grau). Minha quest rolou um bônus: a Yukari tava lá no mercado de meio dia (?). Bom, anyway, rolou uma conversa até di boa. Fui fazer umas barras no parque de tarde e pra completar o dia tinha uns cinco cops tirando foto do guard-rail ou alguma coisa que eu REALMENTE não consegui entender o que era. Falta de ladrão dá nisso...
    Seguindo a semana, o Diogo deu início à "guerra tecnológica" entre nós. Resolveu comprar uma caixa de som 5.1. Ganhou de bônus a primeira reclamação de "som alto" vinda do pessoal do Office. Completando nossos 3 meses, eu, o Diogo e o Corvo (ou "Colômbia", ou até mesmo "Leonardo") acabamos dando uma espécie de freak-out de noite graças à rotina puxada. Descobri que a Yukari só ia trabalhar mais três dias lá no mercado, o que me levou a ter que adiantar mais meus procedimentos. O Brasil ainda perdeu pra Argentina nas eliminatórias (mas sorte não ter nenhum argentino por aqui, ou tem?). Voltando à "Yukari-quest", sexta-feira, T-menos-2-dias, estava a sair que nem um nerd do mercado quando resolvi deixar de ser (tão) bundão:
    -Vem cá, você vai fazer alguma coisa depois que sair daqui?
    -Não...
    -Já jantou?
    -Não...
    -Que tal sairmos pra jantar?
    Tá, vou resumir que isso ocupa muito espaço. Ela aceitou, marcamos de se encontrar depois do trampo na frente do mercado. Não deu em nada, que ela tinha que voltar pra casa que não tinha avisado com antecedência, mas remarcou pro dia seguinte. Trocamos mais uma idéia e cada um pro seu canto.
    Saímos no outro dia (sábado-11). Talvez minha falta de habilidade com o japa tenha ajudado, mas não peguei. Serviu pra conhecer as redondezas, comer uma macarronada boa (que fazia tempo que eu não comia), andar e exercitar o japonês. Pelo menos faturei um abraço na hora de sair. Antes que venham me zoar, é uma coisa meio que "próxima de sexo" conseguir um abraço de uma japa... as minas mal pegam na sua mão! De qualquer modo, sou brasileiro, não desisto nunca.
    Dia 12, dia dos namorados no Brasil. Pretexto pra jogar um kaô. O Diogo, que também estava arrozando uma mina, deu a idéia de aloprarmos de vez. Compramos uma caixa de chocolates (que, nossa, eram bons. mas eu sinto falta dos "kemper's haus) e ficamos de cumprir a missão de dar o chocolate e dizer a razão, pelo menos. Missão dada é missão cumprida: entreguei a caixa de bombons. O colômbia tava comigo, só que ficou no mercado mais tempo. Disse que a mina deu aquelas palas de anime (quando ficam felizes) logo depois que eu saí. Será que marquei ponto?

    Fotos: Eu e a Yukari (achei essa foto meio estranha, mas foda-se, é pra vocês saberem quem é); Banda de Kokoseis, só mulher, ô coisa ruim esse Japão...; André (da Indonésia), Colômbia (do Leonardo), Sim (do Palau) e Eu (do Brasil); Diogo com o pau na boca (é uma flauta japonesa feita de bambu, conhecida popularmente como "pau");

    terça-feira, maio 31, 2005

    Fotos extras de Maio






    Fotos apenas:
    A primeira é meu bom e velho dever de casa, ou Shukudai em jap.
    Segue uma foto de eu com a peruca do dr. brown, lógico que não comprei =P
    Em terceiro a foto da entrada de uma das lojas góticas, pra vocês terem uma idéia ficava no subsolo, tinha umas grades lá dentro e pá...
    A quarta é dedicada ao Leo Dib e o Vinnicius, galera, podem vir pro Japão que aqui também tem suplemento, mas dividido em que tu quer fazer seu treinamento (força, velocidade, endurance...)
    A última são as camisinhas e os prendedores-de-fluxo-sanguíneo-peniano (informação dada pelo nosso amigo Claus)

    amanhã eu posto o resumo do início de junho, tá tenso hoje, assisti as finais do Pride na tv que me consumiram 2h, agora tem que estudar =P

    abraço galera!

    SuperMegaPowerResumo Até o Final de Maio!






    Quem quiser mais info de alguma coisa, posta um comment que eu explico! =) Agora, prosseguindo a história:
    Demos procedimento ao que chamamos da "Kono-Quest", arrozar a mina do caixa do mercado. É engraçado que quando você quer pegar uma caixa específica sempre sai uma velha de algum lugar escondido e entra na sua frente da fila deixando outro caixa vazio. Pra colaborar, eu ainda tive que ir duas vezes no mercado, aproveitei pra marcar presença!
    Dia 17 rolou uma viagem pro Universal Studios Japan, aqui em Osaka. Tudo na fita do colégio, muito show de bola lá, pena que não dá pra contar tudo. Certamente, as melhores atrações são Jurassic Park (tirei uma foto muito comédia lá, não sei se tenho ela digital) e o De Volta Para o Futuro! Se puderem, podem ir, é bem divertido!
    Recebemos nossa carteirinha de ET (Alien Registration Card), comédia ser classificado com "alien"!
    Joguei poker com o Leonardo (colombiano) valendo moeda de 1ien... Acabei no prejú de 16, mas foi bom de jogar algo de cartas de novo.
    Saímos com o Leonardo e outro colombiano, fomos procurar algo em Umeda, mas não tava rolando nada. Paramos num bar pequeeeno, que tinha karaoquê. Nos deixaram cantar uma música de graça, tomamos cada um uma bebida (eu, coca-cola pra variar... Brunoro e Seu Kemps, lá vem a piada da coca...) e vazamos. Vimos um geral da Yakuza por lá também...
    Resolvemos, por mais que a situação ainda não esteja favorável, procurar camisinhas por aqui. Tem de tudo que é cor, tipo, cheiro, sabor, textura (pelo menos é o que diz na embalagem. E tinham também uns "prendedores de camisinha", ou parecia isso, ver na foto. Será que é TÃO estreito assim o dos japas?
    Saí com uns japas pra assistir "Closer" (mais ou menos) e depois fomos num restaurante peruano (Los Incas), comida boa, foi bacana sair com a galera. Meiko (que conheci no Lets Talk In Japanese) e o Gyo (namorado dela), ambos gente boa! Lembranças a eles!
    Comprei um skate, não sei andar PN mas comprei. Vamo ver no que dá!
    Comprei um DVD player e umas caixas de som 2.1 power, caracas, eu tinha esquecido que não tô no Brasil e não tem carro, foi froids carregar isso caminhando e de trem... Demos uma entrevista pro Correio Braziliense via telefone. A "Kono-Quest" tá ficando melhor, hoje a mina puxou conversa com nós. Chances?
    Fui pra um rolé com o Gyo, ele ia me mostrar umas lojas de PC usado, ver se eu achava alguma coisa produtiva. Fui pegar grana pra comprar um, era pra sair 5 notas de 10.000 e me vieram 50 de 1.000. Imagina o que é ficar esperando o caixa eletrônico Ecuspir tudo isso, enquanto aquela fila de japa fica olhando pro "alien". Complicado foi colocar na carteira também...
    Acabei descobrindo que Coca-Cola é uma coisa POWER pra acordar. Crianças, se estiverem com sono antes da aula, tomem um copo de 300ml de coca que em pouco tempo vão estar acordados por aproximadamente 4h!
    A "Kono-Quest" tá andando, demos uma de "Charisma Man" (gringo que faz sucesso no Japão) e ao invés de dizer "Ja, mata", mandamos o "See ya". As minas do mercado foram ao delírio =P
    Resolvi comprar meu PC via net, foi um caldo aprender a pagar isso sem cartão de crédito, e mais comédia foi dar as 50 notas pra tia da combini contar!
    O Chuba me escalou pra ir com ele em Nippon Bashi, canto de eletrônicos, pra comprar o PC dele. Achamos umas lojas bacanas por lá também!
    No outro dia sobrou pra levar o PC de Nippon Bashi até em casa... ê carma a falta de carro!
    Fomos à um restaurante brazuca, bacana lá, os garçons são uns comédias, a comida (churrascão, claro!) muito boa também. E começamos a evoluir num jogo de tiro chamado "Wartran", que tem em alguns game centers por aqui e que nós compramos o cartão de savegame pra salvar nossos stats.
    Para o último dia do mês, uma terça feira, fui pra Shinsaibashi com o Corvo (ou Leonardo, ou colombiano), como quase sempre que eu saio de casa comi no McDonnalds (cara, isso vai detonar minha saúde ainda), na volta passei no mercado, e tive que mudar o nome da quest para "Yukari-Quest" (com uma conversa bem nerd, ela me disse o 1º nome dela, acho que é algum avanço). Pela noite fui andar de skate, o Diogo me intercepta no parque e resolve tentar. Fez o que eu não havia feito até agora: caiu duas vezes de bunda!

    Fim de Maio!

    (para ampliar é só clicar na foto)
    Fotos: uma foto do meu quarto, coisa rara ele estar organizado, e já tá beeem diferente do que tá aí... Foto com os colombianos (eu, um colombiano que eu não sei o nome, o Leonardo e o Diogo), a foto do Universal, dêem uma olhada na cara minha, e do colômbia, que já tinhamos ido antes e resolvemos zoar (de rosa é nossa professora conselheira). Essa galera comendo é o pessoal da minha sala, quase todos, lá no Universal, e por último uma foto com os garçons do restaurante Brasiliano.

    domingo, maio 15, 2005

    MegaPowerResumo Até dia 15 de Maio!






    Maio foi um mês bem bacana, mas como eu não tô arrumando tempo para escrever textos complexos nem vocês querem saber muito sobre o passado longínquo, e eu também quero falar do que tá rolando em tempo, vou compactar Maio em dois posts só. Junho eu tinha escrevido uns dias antes, então vai ter coisa mais detalhada. Julho deve ir pro saco também, assim como Agosto que já tá no final, ou seja, em no máximo uns 15 dias (se eu não der mole ou atrasar de novo) já estamos no presente. Bom, vamos começar a contar o que aconteceu então...
    Começamos Maio indo à um evento de quebra de recorde do Guinness. Nada fenomenal, era pra juntar umas 10 mil cabeças, mas juntou 3 mil só. Creio que não tinha recorde antes, uma vez que batemos ele mesmo assim. O recorde: em grupos de 25 pessoas, cada pessoa de cada grupo levantar um papel para cada grupo formar a bandeira de um país. Felizmente a do Brasil foi feita.
    Começou a golden week, um feriado de uma semana, quase!
    Finalmente cozinhamos, não foi MEU DEUS QUE COMIDA, mas tava bom, e é o que conta!
    Arrumamos uma festa numa boate pra ir, foi bacana, o triste aqui é que tem que ficar fora de casa até depois das 6 da manhã por causa do metrô, que só abre às 5 e pouco. Encontramos uns brazucas lá!
    Achamos uma TV no "lixo", funfando e tudo, já levei pro meu AP. E compramos ingressos pro show do G3!!! Agradecimenos ao Leonardo (o colombiano) que nos deu a informação!
    Falando em G3, foi ducaralho! Show aqui tem lugar marcado (muitas vezes), e neste caso era sentado. Pra quem comprou ingresso dois dias antes via telefone, foi uma imensa surpresa receber o ingresso e estar na SEGUNDA FILA! Vimos John Petrucci, Steve vai, Joe Satriani e suas respectivas bandas a menos de 4 metros de onde estavamos. Valeu cada centavo do show!!! Encontramos uns brazucas lá também, e juntamos com eles para tentar falar com os caras, mas infelizmente não deu. O Diogo faturou uma palheta do Steve Vai.
    Tiramos umas puricuras (aquelas fotinhos auto-adesivas pequenas, que se tira em máquina). Diga-se de passagem, fotos bem gay, mas certamente muito comédias! Infelizmente só quem me visitar vai poder ver elas.
    Rolou o Dia das Mães. Tá que ligação não é "MEU DEUS QUE PRESENTE", mas é meio complicado mandar um presente estando do outro lado do mundo. Só pra constar, grande abraço aê Dona Sandra!
    Fim da Golden Week.
    Compramos uns quebra-cabeças de metal, bem do estilo "Feira da Torre", só que custam só 100 ienes! E nos dedicamos a medir a velocidade dos nossos carrinhos de controle remoto na sala de musculação, usando uma esteira eletrônica (que a galera corre em cima). Resultado: o meu Lancer pega uns 160~180km/h (em escala) e o Eclipse do Chuba pega quase uns 200km/h.
    Falando em sala de musculação, meu percentual estava um pouco alto (18%). Falta da minha rotina psico dá seus reflexos.
    Comprei uma camera digital usada por 80 dólares. Sony DSC-P1 3.3mega pixels pra quem se interessar.
    Resolvemos arrozar uma mina gata que trabalha no Peacock (mercado aqui do lado), Kono o nome dela, ou sobrenome, vai saber. Foi divertido fazer o caos lá!
    Meu sono de sexta feira me fez ir parar quase em Kyoto, dormi no trem que eu não sabia que tinha que trocar pra outro, logo quando acordei e vi umas estações um tanto quanto "diferentes", saí do trem normalmente e peguei um pra voltar. Tem que sair de boa pra não virar piada.
    (tem alguma anotação sobre "jogo do cartas: briefing" aqui na minha agenda que não faço a mínima idéia, dia 13 de maios se alguém souber do que se trata =P)
    Fomos em uns lugares "obscuros" de Osaka. Tá, eram lojas de satanismo e de uniformes militares com enfoque em alemanha nazista, mas por mais estranhos que sejam os vendedores, todos EXTREMAMENTE educados. Incrível o Japão!
    Vimos um jogo do Brasil contra Bolívia passando numa loja de esportes, depois ficamos sabendo que era uma reprise...
    Tiramos umas puricuras com o Leonardo (conhecido também como "O Corvo" agora, ver foto)
    Geral se inscreveu para o programa de Host Family, que eu realmente não quis entrar. Não é bem meu estilo. Graças à isso, meu domingo foi dedicado aos estudos enquanto todos se encontravam com sua respectiva Host Family. No final do dia jogamos um ping-pong no Residence Hall 2 (o outro prédio do dormitório que fica bem perto daqui), deu pra dar uma suada forte!

    Ok, acabamos aqui com o dia 15! Com sorte, até amanhã!

    fotos: Letreiro do G3, Foto dos 3 brazucas (Chuba, Diogo e eu) no guiness, foto de um rango tenso que eu tive no colégio um dia (foi foda esse dia, quase não comi nada do almoço =P), foto do nosso rango (a carne, parece meio estranha na foto, mas ficou da hora!), e foto de um dos lugares macabros que visitamos (vejam o que o pikachu fez com o Diogo e com o Leonardo). Hehehe, na real, tiveram uns outros lugares, mas não dá pra botar mais de 5 fotos, então depois eu dô um jeito de postar as mais legais. Falou galera!

    sábado, abril 30, 2005

    26 à 30 - Resumão




    Desculpe a demora, galera, agora até o dia 30 de Abril pra finalmente fechar o mês!(aleluia, né?):
    26 - Terça: Estamos lá, no mesmo trem de todo santo dia quando de repente vemos uma figura de cabelo branco. Galera, igual à uma personalidade famosa, rede globo... qual o nome??? Caracas, ficamos rindo e tentando lembrar o nome da peça até que eu resolvi mandar um mail pro Bruno (tá lembrado leke?): Cid Moreira! IGUAL ao Cid Moreira! Rendeu um dia de risada isso! Porém, sabe-se lá por que, à noite bateu uma deprê por causa do nível de japonês. Resolvi dar a pala, peguei um trem às 22:00 até Awaji (uns 6km daqui), desci lá e saí andando na louca em direção à próxima estação rumo à Minami-Senri. Lógico que eu ia me perder, e era essa a intenção, pra me forçar a usar japonês.Deu certo, no fim das contas consegui voltar pra casa no penúltimo trem (umas 23:45 ou mais). E com gás pra estudar jap! Vai entender?
    27 - Quarta: Nada de muito interessante, fora o fato da coca-cola ter um poder imenso de te manter acordado, e de termos associado um dos vigias aqui do dormitório com o Rodela (aquele ser abominável do Programa do Ratinho). Maldade, o cara é mó gente boa, mas que parece, parece... Créditos ao Diogo!
    28 - Quinta: Bolsa! Fomos ao Correio (o nosso banco também) de galera, a fessora ia nos ensinar a usar o ATM (ou caixa eletrônico). Hehehe, perdemos uma aula, e foi comédia! Voltando pra casa, antes de pegar o trem, estávamos esperando o sinal abrir, de repente veio um doidão, parou, pegou um folheto, fez uns gestos meio jáspion/power rangers, daí quando o sinal abriu ele saiu coçando a orelha como se tivesse acabado de perder a audição. Melhor hipótese até agora: o cara perdeu no "verdade ou consequência". À noite, "Let's Talk in Japanese": deu uma melhorada, até. Reflexo de terça?
    29 - Sexta: Dia do Verde (início da Golden Week). Feriado, só alegria por aqui! Tava rolando uma feirinha muito massa aqui no Minami-Senri Kouen (parque Minami-senri). Barraquinhas de jogos, de comida, gente bagarai, uma bandinha (parecendo militar) tocando, umas apresentações de wrestling estilo WWE, muito comédia... Enfim, várias coisas engraçadas. Comemos um okonomiyaki de almoço e a sobremesa, por incrível que pareça, foi cana de açúcar! Compramos um planador também. Saíndo de lá, fomos à Loft, uma loja grande, mas GRANDE, de, bom, de muita coisa. Gastamos um bom tempo lá, e compramos algumas coisas engraçadas do tipo um adesivo "Have a nice day! (before someone screws it up)" e por aí vai. Saindo da Loft, resolvemos ir ao SkyBuilding. Muito louco por lá, recomendo irem se vierem a Osaka um dia. Retornando ao dorm, resolvemos usar o planador, mas já estava de noite. Problema? Naaada, colocamos uma lanterna nele e ficamos pelo menos 2 horas se divertindo com ele! (neste dia, em algum momento que não me lembro bem, teve um doidão no trem que sentou do nosso lado, puxou conversa pedindo pra nós falarmos inglês, deu umas palas, estalou o indicador com os dentes e vazou. certamente mais um que perdeu no "verdade ou consequência")
    30 - Sábado: Fomos à uma loja de brinquedos. Caracas, certamente as crianças japonesas tem brincadeiras diferentes das crianças brasileiras. Uma das maiores diferenças é o "controle remoto". Quem disse que eu ia conseguir sair de lá sem comprar alguma coisa? Comprei um Mitsubishi Lancer EvoVIII de controle remoto! Diversão total! De noite, mais uma sessão de avião com lanterna, aliados à um rallye com lanterna e um freesbie com lanterna! final de tudo, ficamos morgando no corredor, um dos guardas do Office deve ter achado que 3 brazucas deitados no corredor de madrugada só podiam estar bêbados, por isso nos deixou quetos...

    fotos: Diogo aparecendo junto com a multidão da feirinha. SkyBuilding de baixo, grandinho, não? Eu, quando me achei em Kami-Shinjo (caminho "um pouco" diferente do que eu queria ir...)

    segunda-feira, abril 25, 2005

    Resumão!




    Ok, vamos resumir a história, pelo menos até o dia 25 de Abril:
    21 - Quinta: Não teve nada de mais, quer dizer, começou o Let's Talk in Japanese, um programa que uns japas vem pra cá pra falar japonês conosco. Nossa, deu o gela, não sabia naaada de nada, mas também deu um gásp ara estudar, tanto que fiquei na função de 9:30 até meia noite. Fora isso, teve uma gordinha dormindo esparradamente no trem, mas essa eu mostro depois ao vivo pra quem lembrar.
    22 - Sexta: Fomos à Yodobashi de novo. Testei uma guitarra muito louca da yamaha, vimos uns fones de ouvido que, sem sacanagem, parecia que tu tava numa boate, mas nego de fora não escutava nada. Depois demos um rolé em Umeda, procurando um lugar pra comer. Como bons gringos, acabamos desistindo e indo para o McDonnalds mesmo. Na volta, tivemos que pegar um trem expresso para Awaji e depois correr e pegar o último trem para Minami Senri. No caminho pro dorm, pelo parque, fomos dar um rolé numa trilha lá, usando uma lanterna que eu havia acabado de comprar. Achamos um mendigo dormindo. Voltando ao dorm, ficamos fazendo merda com a lanterna e tiramos umas fotos desse fato tosco...
    23 - Sábado: Resolvemos achar um parque que o pessoal do Office tinha nos falado. Achamos. No lugar tem tanto um parque de diversão bem esparrado, com montanha russa e tal, como um parque para dar uma relaxada, que tem bastante área aberta e verde. Almoçamos lá dentro, meio caro por sinal, vimos uma exposição de tulipas, pegamos um monorail (uma espécie de trem), fomos mais uma vez à Yodobashi ver muamba pra galera do Brasil e comemos mais uma vez no McDonnalds. Fomos lavar roupa, e o azar atacou o Chuba: ele colocou a moeda na máquina e a moeda emperrou... Perdeu 100 ienes, Brasil negão!
    24 - Domingo: Eu e o Diogo fomos na aba do colégio para um concerto de música clássica do "Dia do Verde" (Greeny Day). Bacana a parada! Depois seguimos para um mercado, Don Quijote, para agitar um rango. Duro foi aguentar a vontade de mijar até chegar lá, que não achamos banheiro no caminho. E, chegando lá, ainda demos um rolé até achar o banheiro. Achando o banheiro, pra completar, tinha um gordinho sem calça e uns 3 brothers dele (tudo de uns 12-14 anos máximo) em volta olhando. Na minha terra isso é fuleragem... Superando isso, voltamos pra casa e jantamos omelete de novo.
    25 - Segunda: Ô alegria, esqueci o teiki-ken (passe de trem) em casa, tomei o estrago de 900 ienes para ir e voltar ao colégio. Conhecemos um portuga, o Domingos. O cara é padre, tá aprendendo japonês no mesmo colégio que nós. Gente boa, quis pagar um café para nós. Na hora de comprar, na vending machine, claro, o cara pediu dois cafés em sequência, e já ia pedir o 3º se nós não parássemos ele. Quase que escapou da boca um "tinha que ser luso mesmo...". Ainda bem que deu pra segurar...

    Fotos do dia 23, lá do Parque EXPO (o relax). A estátua é um símbolo daqui de Osaka, segundo eu ouvi falar. Nome: Tower of Sun. Apelido: Feioso (dado por nós). O caminho, bom, é um caminho que tem lá dentro, o parque é REALMENTE grande. E esse jardim, hehe, é um jardim, foto tirada de cima de uma torre de madeira, meio pequena, mas bem legal o lugar. Vejam os japas em seu programa relax de família!

    quarta-feira, abril 20, 2005

    E a frigideira de ontem...

    Hehehe, dormi bem, mas tive que acordar na pilha que tinha esquecido de fazer um dever. Ê alegria ter que engolir o café da manhã para dar tempo de rabiscar alguma coisa no caderno. Bom, deu tempo, é o que importa. Para aumentar a alegria, chovendo. Vai nós pegar o guarda-chuva e dar aquele rolé gostoso na friaca com o bônus "pluvius". Tudo bem, o resto do dia seguiu normal, a chuva nem atrapalhou tanto, e a aula, bom, aula é aula né?
    Cortando a história até o ponto "noite", encontramos a Mariana que estava querendo se desfazer de uns ovos, já que ela ia se mudar. Capaz que os três brazucas homens não iam querer. Aproveitamos para estrear a frigideira nova. O que saiu do rango foi uma cassetada de omeletes. Na real, dava para quatro pessoas comerem e ficarem CHEIAS, mas como o nosso colega Diogo resolveu arrozar as coreanas (aquelas que encontramos uns dias atrás no hyaku-en, mais especificamente a coreana que jogou freesbie conosco), acabou que sobrou omelete. Tentamos matar, mas não deu. Disse ele que iria comer depois, até colocamos num pote pra ele. Dias depois o pote ainda estaria intacto na geladeira. Intacto pelo Diogo, que tava meio estranha a aparência... Anyway, virou comida de corvo, deixamos na varanda pra ver se evoluía para alguma coisa mas algum desses demônios alados pretos deve ter faturado. Ou o colombiano que mora entre o meu quarto e o do Diogo... Vai saber?
    Voltando ao dia de hoje, cara, foi bom comer um rango com MASSA. O estômago já sentia falta de rango pesado, coisa que é difícil de se achar no Japão. E foi bom para dormir assim também, que eu nem me lembro o que aconteceu depois do rango...

    terça-feira, abril 19, 2005

    Blah

    Tirando a rotina normal do acorda, colégio, almoçar, aulas e voltar, e seguindo direto para o que importa:
    Saíndo no colégio, resolvemos passar no Iskara, um cybercafé que tem em Kandai-Mae (duas estações antes de casa). Cara, em 1 hora eu consegui ver os mails, o orkut, uns links interessantes que vieram por mail e ainda falar com uma galera online! Caramba, a cabeça saiu a mil do cyber, e assim seguiu o resto do dia. Na hora de malhar, a cabeça no mesmo rush que havia sobrado da tarde. É interessante quando sua cabeça está mais rápida que o normal, já deve ter acontecido com vocês. Vem altas idéias, altos pensamentos rápidos, você vê uma coisa e analiza já. O duro é quando tem que fazer uma coisa mais lerda, tipo malhar. Dá vontade de subir pelas paredes enquanto espera passar o 1 minuto para retornar a fazer os exercícios.
    Depois disso, segui para tomar banho e comer, ainda na mesma pilha. E ainda depois fazer dever de casa do dia seguinte. Ah, compramos também uma frigideira. Eu, o Chuba e o Diogo já estamos sentido falta de comer uma carne decente, tá planejado para assim que chegar a bolsa investirmos uma grana em carne e fazer um rango decente. O que que será que vai sair disso??? É legal quando dá esse boost na cabeça, podia rolar mais vezes. Mas como sempre, depois de atingir o pico bruscamente vem uma queda brusca de energia. Acabei apagando as 10:30 como se nada tivesse acontecido...

    segunda-feira, abril 18, 2005

    Exercícios!

    O preço de dormir pouco é demorar pra acordar. Foi difícil mas deu pra levar. Café da manhã padrão, 1 hora de trem e estamos no colégio para mais uma bateria de língua japonesa. Até que foi tranquilo hoje, o pessoal dá um gás e depois vem uma folga para assentar a matéria, parece um método interessante!
    Acabando a aula, passamos em uma padaria, ou delicatessen, sei lá o que vem a ser, mas tem um monte de pães doces. Faturamos um croissant com chocolate dentro e, contrariando os costumes japoneses e honrando os costumes gaijins (sem contar o respeito à fome), comemos no caminho, andando. Talvez por isso o pessoal tenha olhado estranho pra nós...
    Chegando ao dorm, resolvemos tomar vergonha e começar a usar a academia. Não precisa dizer que começamos beeeeem nerd. Se bem que a academia em si é bem nerd, os aparelhos são todos pneumáticos (parece um amortecedor de carro o que tem no lugar dos pesos). Bom, melhor que nada, dá pra manter a forma enquanto isso. No mais, fazer o dever de casa (que tem todo dia) e depois dormir.

    domingo, abril 17, 2005

    E a vida doméstica continua...




    Domingão, dia de acordar tarde! Ou "quase de tarde" se preferir. Depois da morgada pós-acordar básica, eu, o Diogo e o Chuba resolvemos dar uma andada até o Peacock e ir no caixa eletrônico da frente para ver se sabíamos usar a máquina. Saber até sabíamos, mas a grana que é bom ainda não tinha chegado, previsão para a primeira bolsa chegar dia 28. Dá pra segurar. Quer dizer, como nosso instinto shopaholic é forte, nunca se sabe... Falando nele, na frente do mercado estava rolando um mini-bazar. De praxe, compramos alguma coisa (os três compraram uma espécie de abrigo). Dalí seguimos para o Lawson pra arrumar um almoço, que, para variar, foi um obento. Bônus do almoço foi um pudim, que estava bom, por sinal!
    Comemos, descansamos, e um pouco mais à tarde voltamos à função de doméstica: recolher a roupa do varal e passar. Depois de tomar uma surra boa do ferro, acho que já aprendi a passar direito. Finalizada esta parte, "excursão" ao Jusco/Midori (um fica de frente para o outro) para ver algumas coisas para o quarto. Final da tarde, rango no McDonnalds, que, para mim, é a mesma coisa que no Brasil (só que comparativamente mais em conta). Voltando para casa, sem nada de muito extraordinário, sobrou só dar uma estudada que se extendeu até 00:30, mas pelo menos fiz o que tinha que fazer.

    Ah! Esqueci de mencionar que achamos biscoito maria por aqui, lá no Jusco (foto). O nome é bem parecido, Marie. Foi divertido achar isso perdido na prateleira de biscoitos!

    sábado, abril 16, 2005

    Passeio com a Senpai


    Acordar, blá blá blá... Isso já é normal. Saímos, rumo à um bazar. Fomos guiados pela Mariana, a nossa Senpai. Pegamos o trem. Andamos. Só que não estávamos beeeem indo para o local certo. Algumas ligações depois descobrimos que estávamos indo na direção errada. Como não chegaríamos à tempo, resolvemos mudar os planos: fomos para a Yodobashi, uma SENHORA LOJA de eletrônicos e muitas outras coisas. Gastamos um bom tempo lá dentro, vendo o que os japas haviam inventado de novo (e olha que não é pouca coisa não!). Mas como ninguém é de ferro, resolvemos bater um rango. Comida escolhida: Okonomiyaki.
    Chegamos no restaurante, no mesmo prédio da Yodobashi só que alguns andares acima, para comer esse prato típico de Kansai. Sentamos na fila, esperamos um pouquinho, e logo em seguida estávamos em uma mesa-chapa. Como é de costume, o pessoal prepara o okonomiyaki na sua frente, para ser mais exato na sua mesa. Rango bom, subimos mais um andar para checar as sobremesas. Para nossa surpresa, achamos sorvete e suco de açaí em uma loja, e açaí vindo de Belém!
    Fim da hora do rango, descemos novamente para a Yodobashi para curtir umas cadeiras de massagem. No caminho encontramos outro brazuca monbusheiro que estava fazendo um tour com a mãe dele que estava em Osaka visitando-o. Trocamos uma meia hora de conversa e seguimos nosso rumo.
    Saíndo da Yodobashi rumo à Minami-Senri (nossa estação), ficou no plano descer em Kandai-Mae para dar o copo para o Shima. O problema é que quando fomos pegar o trem, milagrosamente o Diogo ficou do lado de fora! Tivemos que usar nossos keitais para marcar encontro em Kandai-mae. Chegando lá, atualizamos nossos dados (acho que era o objetivo primário) e depois demos o copo para o Shima (com aquela foto que está mais abaixo). Cômico, creio que ele não sacou que era de sacanagem...
    Beleza, mudança de planos: seguimos para Yamada (uma estação após Minami-Senri) para conhecer um shopping de lá. Já deu para perceber que todos somos shopaholics. Baixamos na UniQlo para comprar umas roupas e depois retornamos para casa. Quer dizer, para a estação. Lá fomos ao shoppingzinho que tem do lado, o Garden Mall, para dar um look no Hyaku-En (loja de 100ienes). Saindo de lá, a fome batia de novo, descemos no Oasis e rachamos uma pizza.
    Finalmente de volta para casa, resolvemos alugar nossa senpai mais uma vez antes de deixar ela descansar:
    -Mariaaaaana...
    -Que foi?
    -Qual é a treta de lavar roupa?
    -Vocês não sabem não?
    (silêncio)
    -Vocês não querem MESMO que eu vá lá em cima com vocês agora, né?
    (silêncio)
    -Tá bom, vamos logo lá.
    Hehehe, nenhum mistério: joga tudo na máquinha, põe o sabão em pó e uma moedinha de 100ienes (no lugar da moedinha, claro). 40 minutos para ficar pronto, descemos, jantamos, pegamos as roupas e vamos nós para a vida de doméstica de novo, agora estendendo roupa e usando os artefatos que compramos na loja de hyaku-en: corda e grampos. Fim da função, hora de dormir.

    sexta-feira, abril 15, 2005

    Muamba!

    Acordar cedo, friaca e tal. Já está ficando normal isso... Comer, estação de metrô, 1h de trem e estamos no colégio. Primeira semana de aula, as aulas começaram na terça e eu já esperava a sexta-feira que mal acabara de começar acabar. É, a folga acabou. Mas beleza. As aulas do período matutino foram tranquilas, a terceira foi tranquila até demais: é uma professora, hum, digamos, um pouco mais velha. Ela até que se dedica, mas é outro esquema, a aula é praticamente morta. Almoção no refeitório, mais aulas. Só que as últimas aulas de sexta mudaram meu conceito de "fim da semana". Não sei que alma piedosa fez isso, mas colocaram um professor muito comédia nos 3 últimos horários do último dia da semana. Usualmente é a pior aula, a que rende menos, que geral presta menos atenção, mas o cara tem a moral de ensinar e prender a atenção da turma. Creio que as sextas serão divertidas. Mas nada mais aliviante que o sinal de fim da semana de aula, por melhor que ela seja...
    Saíndo do colégio, mais uma vez paramos na loja das muambas. Desta vez eu tinha que comprar um toca-fitas (sim, ainda se usam fitas no Japão, para aulas de listening) e ver se eu achava um dicionário eletrônico. Achei um com 10 línguas e um palm que segundo a tia da loja tinha dicionário também. Só que sem carregador. Bom, o palm, o dicionário e o toca-fitas saíram por 1000 ienes cada um, relativamente barato! Enquanto isso, o Diogo estava experimentand a roupa de kendo. Não me perguntem por quê. Apenas compramos a roupa de kendo, cada um deu metade nela. Falta achar o que fazer com ela (hehehe, kendo é uma boa idéia, falta tempo e dojo só). Queríamos gastar mias tempo a toa por aí, mas tinha algum evento no dormitório, tivemos que retornar.
    O "evento" era uma orientação que os caras do dorm prepararam pra nós. Um breve resumo da história: "É bom ter vocês conosco... não façam bagunça, não levem pessoas de fora pro quarto, não toquem fogo no quarto de vocês.". Tá, tiveram mais coisas no meio, mas acho que isso é o que importa. Depois disso uns senpais fizeram um discurso e rolou a comida pra geral. Lá apareceu um outro brazuca, o Marcus, que era do hall 2 faz um tempo, mas mora sozinho. Veio na aba da Mariana. No meio da parte de comer, um dos diretores do dorm, com um nível de sangue no álcool já baixo, puxou conversa conosco, e depois ficou conversando com o Chuba enquanto eu e o Diogo fizemos o favor de sair de finhinho. Tá, acabou a festa, nos colocaram na roda de limpeza (sabia que tava fácil demais...), fizemos o que tinha que fazer e hora de dar tchau! Programação para amanhã: ir à um bazar com a Mariana pra ver o que tem de interessante e barato para nosso quarto.

    quinta-feira, abril 14, 2005

    Vamos Nessa...

    Então, como o mercado tava fechado ontem, compramos na vending machine que tinha perto de lá um café com leite pra tomar no outro dia. Resultado: café da manhã com café com leite requentado. A princípio era pra ser fácil: abre a lata, põe o café no copo e põe no microondas, mas o nosso amiguinho Diogo resolveu esquecer do microondas e deixou seu café esquentando por mais de 1 minuto. O que deu foi que de esquentar a parada borbulhou e acabou melecando o microondas todo. Pega o pano, lava o prato do forno e vamo nessa...
    As aulas até que estavam bacana, mas do nada o ritmo acelerou e entraram palavras novas. Já vi que vou ter trabalho com as aulas, mesmo sendo do nível bááááásico. De boa, vamo nessa...
    Acabou a aula, resolvemos voltar na loja da treta, e por surpresa haviam chegado mercadorias novas, dentre elas uma roupa completa de kendo a 5.000 ienes. O que faríamos com uma roupa de kendo, sei lá. Mas chamou a atenção.Saíndo de lá resolvemos ir à Polícia perguntar quanto à idéia comprar a MP40 (isso REALMENTE não tinha saído da minha cabeça). Esperamos um tempo até que os caras chamaram uma tia que sabia inglês. Não, não, e não, mesmo sendo uma arma antiga não podemos ter pelo fato de ser uma arma de fogo, e armas de fogo são PROIBIDAS aqui. Mas réplica pode, tanto é que os próprios puliça deram o enderço de uma loja de armas, era um mapinha bem tosco feito a mão. Não deu pra entender muito, mas vamo nessa...
    Acabamos caíndo em NipponBashi, um canto muito louco aqui de Osaka. Demos um rolé grande lá procurando a tal loja e nada. Desistimos e fomos aproveitar o lugar. Entramos da BicCamera (uma loja de eletrônicos e outras coisas MUITO grande), onde gastamos uma boa hora lá só olhando o tanto de quinquilharia eletrônica que os japoneses produzem. E olha que só fomos no primeiro andar! Saíndo de lá, demos uma andada por Namba, O canto pra sair em Osaka (talvez seja um dos lugares mais populares). Já estava escurecendo, e por consequência começou a juntar uma galera lá. Vimos um outdoor do leite que tomamos todo dia ("Oishii GyuuNyuu" ou "Leite Gostoso" em português - sim, é o nome da parada!) e resolvemos voltar. No caminho passamos por uma espécie de shopping subterrâneo chamado "Namba Walk". Olha, os caras são bons, que pra construir isso não deve ter sido muito fácil não... É uma estrutura que fica debaixo das ruas, com várias lojas e acesso a estações de metrô. Quando você desce a escada do mundo externo para a Namba Walk, parece que você está saindo de um mundo para outro. Mais uma coisa que quem vier para Osaka tem que visitar: Namba Walk. Entramos na estação. Mais uma hora de trem. Vamo nessa...
    Chegando no dorm, checamos a correspondência e escutamos um barulho no lobby. Tava rolando uma festinha de início do programa "Let's Talk in Japanese", é um evento que japoneses vem falar com os gringos pra eles treinarem. Como eu precisava de treino e tava rolando a festinha, me inscrevi. Não sei o que vai dar, mas vamo nessa!
    Acabando a festa, e devido às andanças vespertinas, resolvi aproveitar e dormir cedo, sexta-feira chegando, vamos ver o que dá!

    quarta-feira, abril 13, 2005

    Dia do frio

    Dormi, mas não foi tããão bom assim: fez uma senhora friaca de noite, e o esperto só teve a capacidade de pegar o cobertor 30min antes da hora de acordar. Tudo bem, pelo menos deu pra curtir um pouquinho. Ao descer para tomar café, encontrei com aquela japa que fez o tour do dormitório conosco. Aproveitei para perguntar se iria chover, ficar frio e tal, uma vez que eu não entendo nada do que está escrito na previsão do tempo:
    -So, tonight was kinda cold, wasn't?
    -Yes, yes...
    -Do you know if its gonna rain or not? I cannot read the forec...
    -No, no! Today is going to be very hot! Don't mind!
    -Ah! Thanks! Good day!
    -Good day.
    Não precisa nem dizer o que aconteceu, né? Caracas, fez um frio do cão! Nossa, se a mina que me deu essa info passasse na minha frente não ia dar certo... Ok, deu pra chegar no colégio, pelo menos a sala se mantém em uma temperatura agradável. Mais uma bateria de aulas punk, hora do almoço. O almoço foi tranquilo, quer dizer, tirando o fato que rolou uma enguia muito louca no meio. Não é tão ruim assim, mas é estranho pro cérebro. Aceitável, de fato. Mais aulas punk. 16h da tarde, juíz ergue o braço, fim do segundo tempo, vamos pra casa!
    No caminho, paramos para uma pequena escala na AU de novo, fazer mais um celular, desta vez para o André (Indonésia). O comédia de sempre, Shima, não estava lá, mas foi di boa: na falta de um comédia, vem outro mais comédia ainda! Cara, a roupa desses caras, por mais que seja formal, é muito engraçada! Ponto de parada obrigatório ao vir para o Japão é entrar em alguma loja que existam vendedores jovens (o que não é muito difícil) que não usem uniformes (o que é um pouco mais difícil). Rola aquela esperada básica de 1h de novo, aproveitamos para comprar uns biscoitos no hyaku-en (O hyaku-en que nos dá suporte para aturar a 1h de espera). Como a larica bateu forte, resolvemos comprar uns Takoyakis no kioski da frente. A tia lá ainda deu uns a mais que sobraram na forma, ficamos sentados no meio fio curtindo o rango e uma friaca bacaninha. Dado o tempo, pegamos o celular e seguimos para casa, onde rolou UM PICO DE FRIO. Não tem jeito, sempre no Minami Senri Kouen (o parque que separa a nossa estação do dormitório) está uma temperatura pelo menos 5 graus abaixo do resto de Osaka. Pra completar a alegria, seguimos para o Peacock para comprar comida e adivinha só: fechado! É tão show de bola quando você tem que sair no gelo pra ir no mercado e ele está fechado. Para evitar piores, voltamos logo para casa. Fui fazer meu shukudai (dever de casa) e logo apaguei.

    terça-feira, abril 12, 2005

    Let the Carnage Begin!


    Resolvemos testar um novo caminho, o 3º desta vez. Tivemos sucesso até, mas é mais conveniente que econômico em termos de tempo. De qualquer forma, o que importa é que por extrema sorte começou a chover. Tudo bem, hora de estrear os guarda-chuvas...
    Primeiro dia de aula é sempre uma coisa estranha, agora, ter um primeiro dia de aula onde ninguém fala sua língua, ninguém é sequer do seu país, poucos falam inglês e este muitas vezes parco e um professor mandando tudo em japonês. Se entendi 50% do que a professora dos dois primeiros horários falou eu mandei bem demais! Pelo menos ela é gata, ou pelo menos bonitinha, ou então melhor que as outras professoras. Depois tivemos um horário com um louco, com cara de louco, com jeito de louco, cabelo de louco, óculos de louco... O cara é uma figura, já vi que as terças-feiras serão divertidas.
    Almoço é sempre uma aventura num lugar novo, só que desta vez seria enfrentar o refeitório. Primeiro desafio foi comprar o ticket. A máquina TODA em kanji ou com números. A sorte é que tinha um exemplar de cada prato num display, logo rolou de olhar os "desenhos" na plaquinha na frente do que queria e comparar com o da máquina. Só não sabíamos o que ia rolar de comer ainda. No final o rango foi bom, e pelo que gastamos valeu a pena!
    Começa o segundo tempo, entrou uma professora meio estranha dizendo que seria a nossa representante. Tudo bem, vamo nessa né, não tem como escolher mesmo... Última aula foi num laboratório de línguas, vulgo LL, com uma aula de listening bem "bacana". Fim de jogo, voltar pra casa.
    Na estação, ou melhor, no Garden Mall (do lado da estação), fomos mais uma vez ao Oasis, desta vez resolvemos fazer o cartão de fidelidade (como muitas lojas aqui tem). Só que eu creio que talvez antes de sair de Osaka eu ganhe pontos suficientes para comprar um biscoito, uma vez que a cada compra 1% do dinheiro gasto vira ienes-ponto e um biscoito é por volta de 100 ienes, só quando acumular 10.000en vamos ter ponto pra pensar em trocar. Beleza, sem palas.
    No dormitório, mais uma vez, os brazucas se juntaram. Momento de rir e pah, trocar umas idéias. Foi eu aproveitar que não tava tão frio e fui tomar banho logo antes de comer. Se alguém queria saber onde está Murphy, certamente ele estava no Japão hoje, que a porra do aquecedor de água tava com pala. Tudo bem, tudo bem, foi difícil mas rolou. Ah, eu esqueci de falar que ontem quando fomos com a gringa comprar o celular dela acabamos ganhando dois copos da AU de brinde.E hoje, pra colaborar, faltou coisa pra fazer, sobrou uma foto de nós com o Shima no dia que compramos o cel, sobrou também uma superbonder e um lápis. O que que deu isso: conseguimos trocar a propaganda da AU pela foto, e ficou como meta dar esse copo depois pro Shima. Vamo ver quão comédia vai ser.
    "Janta", como hábito "new-comer", sucrilhos e torrada; Fora isso, bom, dormi.
    (foto: Shima, Diogo, Eu, Chuba no dia que compramos o cel)

    segunda-feira, abril 11, 2005

    "Homem faz isso?"

    Novo dia, e dia de prova. Resolvemos pegar um caminho alternativo do que os senpais tinham nos ensinado, e resultou na economia de uma troca de trem e uns 10min de lucro no final. Acabamos chegando cedo para o teste de nivelamento. Grande bosta eu ter chegado cedo, fiquei na primeira prova (claro, com meu nível "felomenal" de japonês não esperava muita coisa... melhor assim). O froids foi esperar o Diogo que ficou até a última prova, por volta de 12h, e eu no lobby do colégio parado. Hora do almoço, fomos ao Sukiya de novo, comer um tondon. A Crystal, a americana que foi conosco na prefeitura de Suita, acabou juntando conosco para comprar o celular dela, uma vez que iríamos novamente à AU atualizar uns documentos que faltavam.
    Chegando à loja, mais uma vez fomos atendidos pela figura hilária do Shima. Os japas tem, às vezes, um visual realmente exótico , mas direto os caras se superam. Ao chegar no momento "esperem 1 hora", fomos mais uma vez ao hyaku-en (loja 100ienes) para comprar um pouco de "junk food". Desta vez nós que juntamos com umas coreanas pra fazer um social. Na verdade quem queria fazer um social era o Diogo com uma das coreanas, a outra, bom, ela é gente boa, e é só o que a amizade me permite dizer. Compramos comida, e como sempre, inutilidades. Voltei para casa com um zippo falsifa forte, mas acende, tá valendo.
    No dormitório os brazucas se juntaram, e desta vez foram os quatro ficar falando besteira (eu, Chuba, Diogo e Mariana). Enquanto isso o Diogo resolveu fazer a plaquinha dele de "estou/não estou". Divertido foi quando ele pendurou a plaquinha na porta e, por coincidência, a Ii-san (ii-san, a coreana que o Diogo tava arrozando) estava passando na frente, viu a placa e disse pra ele: "ué, homem faz isso?". Heheheh, piada para o resto da semana, deu mole, rodou.

    domingo, abril 10, 2005

    Loja da Treta

    Começa mais um dia. Tudo normal, salvo o fato que o companheiro no Japão tava meio mal. Algo como uma febre com alguma baitolice que eu não entendi direito, mas como eu preciso dele pra falar japonês tive que dar um help. Hehehe, brincadeiras à parte, o coleguinha não tava muito bem não, cheguei a ficar preocupado até, talvez tenha sido o stress da viagem mais o clima frio mais sei lá e a saúde arriou as pernas. Bom, doente ou saudável tínhamos que ir no colégio (sim, domingo ir no colégio...).
    1 hora de trem e chegamos na área. Estação certa, saída errada. Não "errada", mas um pouco mais longe que a saída que estava indicada no nosso mapa. Demos uma andada básica, encontramos o Damien (de Côte d'Ivoire) e aproveitamos pra treinar o francês tosco que haviamos aprendido há um bom tempo. No colégio recebemos algumas indicações, fizemos o protocolo para abrir nossa conta no correio, nos informaram que no dia seguinte teríamos uma prova para ver o nosso nível. O processo acabou antes do meio dia, aproveitamos para conhecer os restaurantes da área. Acabamos indo no Sukiya, um lugar bom pra comer, rango até barato. Gastamos um tempo lá, fizemos um social com os outros intercambistas, que nos informaram que a previsão do tempo para o dia era de chuva. Como não tínhamos guarda-chuva, logo ao sair do Sukiya demos de frente com uma loja de artigos usados e/ou perdidos no metrô.
    Para quem se perguntava, os guarda-chuvas perdidos vão parar em lojas deste tipo. Cara, tinham MUITOS guarda-chuvas lá, deu pra escolher o que mais se adequava às necessidades. E estavam a 200 yen apenas*! Claro que rolou de entrar na loja, e ao entrar que rolou o choque: algumas câmeras digitais, dicionários eletrônicos, cds, roupas, canetas, isqueiros, uma mp40 da segunda guerra mundial, bolas de golfe... Calmaê, sim, uma MP40! Para quem não entende, uma das armas padrões do exército nazista alemão. Como ela foi parar no Japão, e como foi esquecida num metrô, não sei. Mas tinham algumas inscrições em alemão na bandoleira, a arma parecia funcionar ainda apesar de um pouco enferrujada. O carregador saía e voltava, o gatilho funcionava e a alça de manejo (aquela coisa que geral puxa em filme que faz o "cleck-cleck" antes de atirar) também funcionava. Perguntei o preço só por curiosidade: 1000yen. SÓ? Sim, só. Quase que eu comprei, o problema é que armas de fogo são extremamente proibidas por aqui.
    Saímos da loja. Mas a MP40 não saía da minha cabeça. Eu PRECISAVA ir à uma delegacia e perguntar sobre isso, mas só depois, que o meu tradutor tava mal das pernas e tínhamos que fazer o nosso passe de trem, conhecido como "teiki" por aqui. A princípio era para ser fácil, fomos com uns senpais de outros países, mas a primeira estação que fomos o lugar de fazer o ticket tava fechado. Ok, acabamos parando em Umeda (uma estação bem grande de Osaka). Gastamos um tempinho na fila mas conseguimos fazer o lance. O coleguinha ainda tava mal, resolvemos voltar logo pra casa.
    Descemos em Minami-Senri, aproveitamos para passar no Oasis (mercado do lado da estação), compramos alguma coisa pra comer e voltamos. Aproveitei a sobra de tempo pra desfazer a guerra que estava o meu quarto, começar a dar uma arrumada é bom de vez em quando. Banhoso básico, comer e capotar.

    *Conversão iene->dólar: a taxa de câmbio é de aproximadamente 1USD=105JPN faz um bom tempo, mas para vocês entenderem melhor o preço que dá, é só pegar o valor em ienes e tirar as duas últimas casas (ou dividir por 100, como preferir). Ou seja, os guarda-chuvas estavam por volta de 2 dólares. Ah, esta conversão equivale mais ou menos ao poder de compra também. E é semelhante ao poder de compra do Real, isto é, o que dá pra comprar com um real no Brasil é mais ou menos o que dá pra comprar com 100 ienes no Japão. Se quiserem fazer o índice McDonnalds: uma promoção do Big Mac com refri médio e batata média sai a 500 ienes. Se quiserem fazer o índice Coca-Cola: uma coca 600ml sai a 150 ienes mais ou menos.