quarta-feira, abril 06, 2005

Ladies and Gentlemen, welcome to Japan

Caramba, escutar essa frase foi estranho, apesar de eu ainda não saber no que eu estava me enfiando. Ao descer do avião fomos direto para a imigração, que por sinal estava uma zona graças aos 3 vôos que haviam chegado juntos. Como não havia ordem pra entrar na fila, brasileiro que é brasileiro sempre dá um jeito. Fomos entrando na fila, mas os japas não pareciam estar gostando muito. Meu "Sentido Murphy" estava começando a apitar, quando resolvi tentar amenizar a aparência do "fura-fila" puxando conversa com um "japa":
-What time is it?
-It's... (me mostrou o relógio)
-Ah... Thanks! <...> Er, do you travel a lot to Japan?
-Yeah, once in a month.
-You are from...?
-Taiwan, and you?
-Ah, we are all brazilians!
E a conversa foi rolando, o Josafá e o Diogo entraram no meio, falamos de política, de diferenças entre o mandarim e o japonês, a fila grande e muito assunto besta. O que começou como uma amenizada acabou se tornando um ótimo passatempo, o cara era bem gente boa, rolou de nem perceber a fila indo. Agradecimentos ao tio de Taiwan que infelizmente esqueci o nome, existe uma menção à ele aqui pelo menos.
Passamos pela imigração, fomos pegar as malas, e foi quando eu notei que eu fui o cara que levou menos bagagem. Logo ao sair da sala de bagagens fomos recebidos pelo pessoal da JASSO. Dividimos o grupo que veio de Brasília/Sampa, com a promessa de se reencontrar para subir o Monte Fuji no verão. Check-in para Osaka feito, tinhamos um tempo livre, resolvemos conhecer um pedaço do aeroporto de Tókio (Narita Airport). É grande demais o trem, sô! Conseguimos achar um Starbucks lá, onde fizemos nosso primeiro contato com os nihonjins ("japonês -pessoa nascida no japão-" em japonês), onde eu pude comprar o capuccino, onde gastei meus primeiros ienes e onde comprei o primeiro item do meu "patrimônio": um pad para copos com o logo do Starbucks. E ele ainda está aqui no meu quarto! Lá também tinha um cybercafé, onde pude checar um pouco da minha vida virtual e ainda postar algo no Orkut, que por sinal vai bem rápido por estes cantos do globo. Mais um rolé pelo aeroporto, pilhas pro meu diskman, resolvemos ficar de butuca na frente do portão de embarque para evitar atrasos. Foi bacana até, lá apareceu uma equipe feminina de alguma coisa que estava levando de volta para Osaka um troféu monstruoso. Vimos umas fotos da viagem de avião no laptop do Diogo, gravamos um CD com elas para a Sílvia (intercambista, mas não monbusheira) e ficamos escutando música.
Entramos. E lá encontramos uma galera que tinha vindo pelo vôo do Canadá. Conhecemos o Menandro, o Chubert e se não me engano falamos com o Fábio também, mas não tenho certeza. Entramos no avião, mas na hora que eu sentei na poltrona não consegui manter meu ideal de ficar acordado. Fechei o olho em Tóquio e abri em Osaka numa fração menor que se eu tivesse apenas piscado o olho. Descemos naquela morgação fooooooooorte de ter viajado meio globo, juntamos com os novos brazucas e ainda meio tontos fomos falar com o pessoal da JASSO. Lá nos deram a "arrival allowance" (grana por pisar em solo japonês, mas só para bolsistas, claro) e alguns papéis. Separaram em grupos as pessoas que iam para as cidades próximas (como a Sílvia que foi para Himeji e o Fábio que foi para Kobe), juntaram eu, o Diogo e o Chubert mais uma russa para esperar uma van que demorou uma vida pra chegar. Trocamos uma idéia com ela, mas já era noite e todos estavam cansados e com jetlag. Descemos no dormitório, onde uma tia mó simpática (que no momento esqueci o nome) que nos mostrou todo o dormitório: Cozinha, Hall, Lobby, Sala de Musculação, Office (ou escritório, ou ainda jimusho) e nossos quartos. Eu fiquei com o mais da quina, só tinha um vizinho que eu ainda não sabia quem era, depois vinha o Diogo e o Chubert.
Finalizado o tour, fomos levar as bagagens para cima. Ao pegar as malas conhecemos o Jonathan (da França) e o Bram (da Bélgica). Ao voltar pro hall, somente eu e o Diogo, uma vez o Chubert resolveu apagar, o Jonathan nos levou para um mercado próximo, o Oasis, para comprar rango. Já fomos nos interando sobre rotinas e coisas do gênero, e fazer um reconhecimento na área e aproveitar pra comer o tradicional Takoyaki (uma comida típica da área de Kansai, tem polvo no meio), compramos um Cup Noodles, comemos e chapamos na cama. Estava meio frio, deu pra aproveitar o futon que tem no quarto.

6 comentários:

alê disse...

c'mon, keep posting!!!
lendo seus posts dá a impressão que viajamos junto ;-)
fiquei com vontade de comer o treco de polvo aí hmmmmm
falando em comida, já comeu sushi por aí? é uma coisa que ainda farei na vida, comer sushi no Japão (assim como já comi paella na Espanha, croissant na França e sauerkraut e brezel na Alemanha!).
mami pediu pra dizer que já viu seu blog e gostou! qdo tiver um tempinho ela posta uma mensagem ;-)

beijossss!

PKF! disse...

hehehe, valeu

não, por mais incrível que pareça eu não comi sushi ainda... mentira! comi sim, de bobeira 1 só numa festinha de boas vindas que teve aqui, aguarde e confie... mas nada de mais não... normal, mesmo treco cru =P

Diogo Souza disse...

caralho.... de tokyo para osaka foi muito escroto.... Estávamos cansados pra caraaaaaaalho!
(sim, esse periodo merece 2 "caralho"s) Os olhos vermelhos e ardendo, aquela sensação de sujeira, a cueca suada... muito palha. heheh E chegando em Osaka ainda tivemos q ficar uma data esperando uns japas terminarem de falar sei-la-o-que, preenchendo uns papeis... depois ainda ficamos esperando quase 1 hora pelo (jambo) taxi chegar.... Ah! esqueci da parte de carregar as malas na mão por uma boa distancia no aviao....

Mas tudo por uma boa causa.

Diogo Souza disse...

no aviao nao... no aeroporto.

caralho, eu sempre erro alguma coisa! Deixa eu ir dormir.

Claus disse...

Fala povo...

Putz, chamar os chineses/koreanos/afins na fila de imigracao de japas eh sacanagem, heim??? :-D

Bom saber que as coisas andam bem por ai! Olha so, este mes tem um bolsista (JICA, nao monbusho) indo pra Oosaka, o nome dele eh Seiji, voces ja conhecem?

Bom, abracos pra galera!

PKF! disse...

hehehe, pô pessoal, eu sei que ele tava na fila de imigração, mas eu tava cansado, e não fazia a menor idéia da nacionalidade, podia muito bem ser um japonês. Por isso que eu coloquei "japa" (entre aspas). Heheuheuhe, vacilo mesmo, mas merda acontece =P